ADRIMAG

Temos 89 visitantes em linha
Entrada Internacionalizar as Montanhas Mágicas Montanhas Mágicas® receberam jornalistas e bloggers de viagens
Montanhas Mágicas® receberam jornalistas e bloggers de viagens PDF Enviar por E-mail
Notícias - Internacionalizar as Montanhas Mágicas
Quinta, 08 Março 2018 16:15

Nos dias 23, 24 e 25 de fevereiro de 2018, cerca de 30 jornalistas e bloggers de viagens, portugueses e espanhóis visitaram as Montanhas Mágicas, numa ação promovida pela ADRIMAG, em parceria com a Entidade Regional de Turismo do Centro e os municípios de Sever do Vouga, São Pedro do Sul e Castro Daire.

Depois de, em dezembro de 2017, se terem dado a conhecer as Montanhas Mágicas e a Rota da Água e da Pedra, nos municípios de Arouca, Castelo de Paiva, Cinfães e Vale de Cambra, pertencentes à região Norte, foi agora a vez de desvendar os segredos que esconde esta rota dedicada à natureza, nos municípios localizados na região Centro de Portugal.

Na sexta-feira, dia 23, a visita decorreu em Sever do Vouga, tendo iniciado no Vougapark – Centro de Inovação, onde   o vice-presidente da Câmara Municipal, Almeida e Costa, e o Coordenador da ADRIMAG, João Carlos Pinho, acolheram e deram as boas vindas aos jornalistas e bloggers convidados.

No período da manhã foi possível dar a conhecer a Ecopista do Vouga, desde a pitoresca e renovada Estação de Paradela, até à Ponte do Poço de Santiago, ex-libris do Município de Sever do Vouga.

Ao longo da caminhada foi possível contemplar a beleza natural do rio Vouga e da sua envolvente, apreciar as paisagens em socalcos, as plantações de mirtilos, os laranjais, as quintas e os pitorescos túneis da ex-linha ferroviária do Vouga, por onde passava o antigo comboio a vapor – o Vouguinha.

À caminhada pela ecopista seguiu-se o almoço no restaurante Quinta do Barco. Aqui, os nossos convidados puderam experimentar algumas das melhores iguarias gastronómicas de Sever do Vouga, confecionadas pela Chef Alice Bruçó: Lampreia do Vouga à Bordalesa, Açorda de Bacalhau com tirinhas de bacalhau frito, Rojões do Redenho, Rissóis de Mirtilo, presunto caseiro e enchidos. Como prato principal foi servido um delicioso Frango à Padeiro e, como opção, o tradicional Bacalhau à Quinta do Barco. À sobremesa foi servido um delicioso Gelado de Mirtilo.

Da parte da tarde, envolvidos pela tranquilidade da albufeira de Ribeiradio, os profissionais de comunicação em viagens puderam experimentar diversas atividades desportivas e de lazer, entre as quais a canoagem, o stand up padle e um agradável passeio de lancha, sempre com a supervisão do monitor Bruno, da Desafios, e dos seus colegas de equipa.

Daqui seguimos para Couto de Baixo, uma pequena e tranquila aldeia de Couto de Esteves, com vistas para a albufeira do rio Vouga, que dispõe de diversas unidades de Turismo no Espaço Rural e um pequeno restaurante típico que só serve mediante encomenda. Ainda antes do jantar os nossos convidados foram recebidos na Casa da Tulha, nas Casas da Seara, na Villa Augusta & SPA, na Quinta da Olga e na Eira dos Canastros (esta em Cedrim do Vouga). O jantar, servido no restaurante Cantinho da Eira, contou com a deliciosa Vitela Assada no Forno à moda da D. Alice, um fantástico Arroz de Forno e o tradicional Leite Creme.

No sábado, dia 24, partimos para a serra da Arada, no Município de São Pedro do Sul. A primeira paragem foi junto às Mariolas da Arada, um dos pontos da Rota da Água e da Pedra. Seguiu-se uma breve visita à aldeia da Arada, a qual está a ser alvo de um projeto de recuperação integral, promovido pela ATASA – Associação Turística e Agrícola da Serra da Arada. O Presidente da Direção da ATASA, José Carlos Almeida, falou-nos um pouco deste interessante projeto que envolve, não só, a vertente turística, com a futura oferta de 12 unidades de alojamento (abertura prevista para abril de 2019) mas, também, as vertentes agrícola, social, cultural, ambiental e ecológica.

A paragem seguinte foi no Portal do Inferno, outrora um ponto de passagem muito estreito e sinuoso, entre vales profundos.

Do Portal do Inferno rumámos em direção à Aldeia da Pena, uma das mais bonitas e emblemáticas aldeias das Montanhas Mágicas®, eleita para as “Sete Maravilhas de Portugal – Aldeias”. Na Aldeia da Pena, o Vereador da Câmara Municipal de São Pedro do Sul, Pedro Mouro, deu as boas vindas ao grupo e fez uma breve apresentação do município e dos seus principais atrativos turísticos. Na envolvente da aldeia, demos a conhecer o lendário Caminho do Morto que Matou o Vivo e a Livraria da Pena, sítio de interesse geológico com mais de 480 milhões de anos.

O almoço, servido na Adega Típica da Pena, privilegiou o Cabrito Assado em Forno a Lenha e, como opção, uma Feijoada à Moda da Casa. À sobremesa serviram-se o tradicional Leite Creme, o Pudim de Ovos caseiros e uma deliciosa Salada de Fruta. Depois do almoço ainda houve tempo para dar um passeio pelas típicas ruas da aldeia, conhecer a loja de Artesanato Augusta e a pequena capela de Santo Inácio.

De volta ao topo da montanha, desfrutamos das magníficas paisagens a partir do alto da serra de São Macário, e desvendámos a lenda do santo que lhe deu o nome. Ainda neste local foi possível visitar icnofósseis – rastos de trilobites gravados nas rochas - que retratam a evolução do Planeta Terra ao longo de milhões de anos. Antes de chegarmos à última paragem do dia, passamos pelo centro da cidade para conhecer os claustros do Convento de São José, onde estão instalados, atualmente, os serviços da Câmara Municipal.

Já nas Termas de São Pedro do Sul, consideradas as maiores e mais concorridas da Península Ibérica, convidámos o grupo a visitar o Museu do Balneário Rainha D. Amélia. Ao longo da visita interpretada foi dada a conhecer a história milenar destas termas e a sua evolução ao longo dos tempos, destacando-se o facto de terem origem romana e de aqui terem feito trata-mentos termais o primeiro rei e a última rainha de Portugal, D. Afonso Henriques e a Rainha D. Amélia. Depois do museu, passamos ao renovado espaço de bem-estar das termas - o Real SPA Rainha D. Amélia - onde foram apresentados os diferentes espaços e serviços de bem-estar disponíveis.

O Hotel Inatel Palace, localizado no coração das termas, foi o local escolhido para o alojamento e jantar dessa noite.

No dia 25 de fevereiro, a visita começou na Aldeia de Campo Benfeito, emCastro Daire , onde o Presidente da Câmara Municipal, Paulo Almeida, o Vice-Presidente, Luís Lemos, o Vereador, Pedro Pontes, e o Presidente da Junta de Freguesia de Gosende, Domingos Silva, já se encontravam para dar as boas vindas ao grupo.

O primeiro local visitado foi o atelier de das Capuchinhas do Montemuro onde estavam, para nos receber, a Henriqueta, a Ester, a Engrácia e a Isabel. A visita por aqui foi um pouco demorada, tantos eram os motivos de curiosidade e interesse que este grupo de mulheres artesãs, a sua história e o seu trabalho, suscitaram nos presentes. Não faltaram as entrevistas, as fotografias, as compras e, até, um desfile de moda improvisado pelos visitantes.

Depois seguimos para a Estação da Biodiversidade de Campo Benfeito. O percurso tem início na aldeia e prolonga-se por cerca de 1km, ao longo do Planalto do Balsemão, mais um dos pontos da Rota da Água e da Pedra.

Para se puder desfrutar de toda a imponência paisagística da serra do Montemuro, subimos ao miradouro das Portas do Montemuro, localizado a cerca de 1213 metros de altitude.

Das Portas do Montemuro partimos para a Quinta da Rabaçosa, onde nos aguardava uma calorosa receção por parte da Confraria do Bolo Podre e Gastronomia do Montemuro, liderada pelo seu Grão-mestre, Adérito Ferreira, e pelo grupo Cordas do Paivó, que cantaram e encantaram com as suas vozes e músicas tradicionais.

O almoço, servido pela Confraria do Bolo Podre, com o objetivo de dar a conhecer ao grupo de jornalistas e bloggers, a qualidade e diversidade gastronómicas deste território de montanha, começou com umas deliciosas entradas, onde não faltaram as tradicionais Trutas de Escabeche, os Torresmos à Montemuro, as Feijocas, a Bola de Sardinha, a Bola de Milho com Carne, a Bola de Bacalhau, a Broa com Mel e Presunto, e, naturalmente, o Bolo Podre. A Vitela à Montemuro com Migas, o Arroz de Feijão com Salpicão, a Vitela ao Alho e a Vitela Grelhada à Montemuro foram alguns dos pratos principais a ser degustados, revelando todo o potencial e versatilidade desta carne serrana de características únicas. As sobremesas tradicionais também estiveram presentes, nomeadamente o Bolo Podre com Queijo, as Rabanadas, a Aletria, as Cucas doces, as Capuchitas, as Broinhas de Mel e, como inovação, os Murmúrios e a Baba Serrana.

O Centro de Interpretação e Informação do Montemuro e Paiva foi o último ponto de paragem desta press trip pelas pelas Montanhas Mágicas. O CIIMP é um local de visita recomendada a todos quantos queiram explorar as Montanhas Mágicas e, em concreto, a serra do Montemuro, o rio Paiva e o Município de Castro Daire.

Aqui demos por encerrada esta visita que teve como principal objetivo dar a conhecer o território Montanhas Mágicas, à comunicação social, em especial a jornalistas e bloggers de viagens, com vista à sua promoção e divulgação, quer no contexto nacional, quer internacional.

Um agradecimento especial aos profissionais que aceitaram o nosso convite para conhecer, promover e divulgar este território mágico. Um grande bem-haja, também, a todos quantos nos receberam com a habitual simpatia e hospitalidade que caracteriza as nossas gentes!

Esta ação foi promovida pela ADRIMAG, em parceria com a Entidade Regional de Turismo do Centro e os municípios de Sever do Vouga, São Pedro do Sul e Castro Daire, sendo cofinanciada pelo Compete 2020 no âmbito do SIAC Internacionalização.

Press Trip - CENTRO (Resumo)

VER FOTOS ( no Facebook)

 

Estamos em processo de adoção do novo acordo ortográfico.

Montanhas Mágicas 2020